Eficiência no uso da terra: um dos caminhos para alcançar maiores rentabilidades

Christiano Nascif

Homem sentado na fortuna

A eficiência no uso do capital deve ser a grande meta de todo o produtor rural, sobretudo daqueles que se dedicam à atividade leiteira, pois esta por sua vez, é caracterizada pelo alto montante de capital imobilizado. Entende-se por capital, a terra, máquinas, benfeitorias, equipamentos, animais, dentre outros, ou seja, tudo que concorre para a produção na atividade leiteira. Dados do diagnóstico da Pecuária Leiteira de Minas Gerais, realizado em 2005 fruto de uma parceria entre as entidades Sebrae-MG, Faemg, Ocemg e Senar-MG, demonstra que, em média, as propriedades mineiras têm R$930.267,92 de capital empatado para produzir 820 litros de leite por dia. Isso significa que o produtor de leite serras de minas, para cada litro de leite, empata R$1133,17 para produzí-lo. Isto é muito capital para pouco leite.

Em razão dessa “montanha” de dinheiro que empatamos pode-se dizer que, via de regra, nós produtores de leite, somos um pobre sentado sobre um saco de dinheiro. Temos que dar um basta nessa situação. Para isso, faz-se necessário aumentar a Continue lendo →