Agronegócio brasileiro se destacando em mais um carnaval

Com grandes projeções para 2017, Agronegócio se prepara para muitos recordes.

Helder Alvarenga

É com grande maestria que, em meio a cânticos carnavalescos, a Agricultura Nacional mostra-se superior, sendo um dos poucos setores que vão se destacar perante a recessão econômica presenciada no País.

Como era de se esperar, o milho e a soja, que começam a ser colhidos no Centro-Sul, espera-se superar a receita recorde de R$ 200 bilhões este ano, sendo não só histórica em valores monetários, mas também em volume produzido e ganhos acima da inflação.

Continuar lendo…


Mercado lácteo: ótimas expectativas para 2017

Com grandes chances de superação, produtores entram em 2017 com bons ânimos.

Helder Alvarenga

Quando o assunto é o mercado de leite e suas variáveis, grande parte dos amigos produtores se encontram em muitas das vezes desestimulados pelo simples fato de não terem conhecimento da gestão de suas propriedades, tendo como parâmetros informações muita das vezes não condizentes com a realidade, tendo assim chances de sucesso cada vez mais reduzidas na atividade.

Com intuito de mudarmos esse cenário, trazemos para o amigo produtor informações que, não lhe dará um novo ânimo na atividade leiteira, mas também informações para a tomada de decisões e planejamento para esse ano de 2017.

Continuar lendo…


Úlceras da lactação: Você conhece a Estefanofilariose?

Helder Alvarenga

A estefanofilariose, de nome complicado e incidência grande em rebanhos leiteiros é uma dermatite crônica causada por nematódeo do gênero Stephanofilaria, mais prevalente no verão e transmitida por moscas com distribuição mundial acometendo várias espécies de animais. Recebe nomes populares como “Úlcera da lactação”, “Chagas de verão”, “Cascado” dentre outros.

Ferida característica ulcerada com crostas e exsudato sero-sanguinolento, localizada próximo à linha média ventral em posição cranial do úbere de uma vaca leiteira.

Apesar de uma incidência considerável, existem poucas informações sobre epidemiologia, métodos diagnósticos e tratamento da doença no Brasil. As lesões em bovinos podem ser observadas na cabeça, na escápula, no teto, no jarrete, próximas à cauda, na garupa, na coxa, na quartela e no úbere.

Continuar lendo…