Leite orgânico: Novos tempos, novas demandas

O leite que é produzido dentro dos padrões higiênicos de vacas sadias é processado, transportado e armazenado de maneira correta, tendo uma qualidade físico-química e biológica que lhe confere uma maior durabilidade e consequentemente proporciona ao consumidor um produto de segurança. Além disto, se for produzido organicamente, terá a garantia de ser livre de resíduos de antibióticos, hormônios, inseticidas, produtos de limpeza, metais pesados e pesticidas em geral. O Leite Orgânico é um produto certificado e acompanhado da origem ao mercado, dando a este a credibilidade necessária para que o consumidor tenha a certeza de realmente estar adquirindo um leite saudável.

Continuar lendo…


Como a dieta pode influenciar na composição do leite das vacas?

Muitos fatores interferem na composição do leite de vacas além da alimentação, são eles: a raça, número de ordenhas diárias, fase da lactação, temperatura, idade, ocorrências de enfermidades ou distúrbios metabólicos dentre outros. Essa alteração na composição química do leite pode afetar a qualidade para melhor ou pior  em seus valores padrões de matéria prima descrito na legislação, refletindo no valor pago ao produtor nos sistemas atuais.

A composição do leite pode sofrer alterações principalmente através da nutrição de forma direta ou indireta, pois os alimentos são os fornecedores para síntese de precursores dos principais componentes do leite. Quando as manipulações nutricionais acontecem, o metabolismo animal passa a compensar qualquer desequilíbrio nutricional utilizando suas reservas corporais, com isso podem ocorrer as doenças metabólicas. Essas doenças subagudas ou subclínicas muitas vezes não são percebidas e limitam a produção de forma persistente.

Continue Reading


Confirmado o Botulismo como causa das mortes em rebanho de corte

Pecuarista tem perda de mais de mil cabeças de gado no Mato Grosso do Sul ocasionada por  o Botulismo.

Foto divulgação /Animais mortos na Fazenda Água Clara .

A informação fornecida pela Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), por meio da Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal de Mato Grosso do Sul (Iagro), em conjunto com a Superintendência Federal de Agricultura em Mato Grosso do Sul (SFA/MS) e do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), confirmaram a suspeita inical de morte por botulismo em mais de mil cabeças de gado de corte no Mato Groso do Sul. Foram coletadas amostras de silagem de milho fornecida aos bovinos do confinamento e realizada análises laboratoriais confirmando a suspeita inicial do setor de Patologia Veterinária da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul sendo encontradas a presença das toxinas botulínicas tipo C e D.

A notícia repercutiu as mídias sociais e trouxe ao pecuarista Continue Reading


Manejo adequado em bezerros garantem menor incidência de diarréias.

Em geral os bezerros são infectados logo após o nascimento seja pelo contato com a glândula mamária de suas mães ou em contato com o ambiente contaminado, principalmente por fezes .
As bactérias chamadas de  Escherichia coli (E.coli)  possuem atributos  que permitem a colonização do intestino delgado e a produção de toxinas que promovem a hipersecreção de fluidos para o lúmen intestinal, por isso, são denominadas enterotoxigênicas. Essa colonização faz com que a proteção conferida pelo colostro, algumas horas mais tarde, não seja suficiente para impedir a ocorrência das diarréias.

A princípio a  E. Coli causa dois tipos de infecção nas bezerras recém-nascidas: