A cana-de-açúcar se mostra uma alternativa viável de volumoso para ser utilizada na alimentação do rebanho pela grande produção de massa verde com alto teor de carboidrato

A época mais seca do ano costuma ser um desafio para os produtores, visto que o crescimento das forrageiras se torna muito limitado devido à falta de chuva, menor temperatura e menor luminosidade disponível. Mas é justamente no período seco que a cana-de-açúcar atinge seu ponto ideal de colheita, quando apresenta maior concentração de carboidratos, juntamente com grande produção de massa verde. Desta forma, a cana-de-açúcar se mostra uma alternativa viável de volumoso para ser utilizada na alimentação do rebanho.

Além da grande produção por hectare a cana possui uma outra vantagem, que é o período de renovação de aproximadamente quatro a cinco anos, ou seja, não é uma cultura de plantio anual, portanto, o seu custo é menor comparado com outras culturas como o milho ou sorgo.

Aspetos nutricionais

Apesar de conter grande quantidade de energia, estocada na forma de sacarose, a cana-de-açúcar possui um teor de proteína muito baixo, de aproximadamente 2 a 4% , sendo um volumoso desbalanceado nutricionalmente.  Por este motivo é necessário adicionar ureia e sulfato de amônio no momento do fornecimento aos animais. Assim os teores de proteína e energia estarão mais equilibrados e o animal irá aproveitar melhor este alimento.

Além disso, possui cerca de 50% de FDN (fibra em detergente neutro), porém é uma fibra de baixa qualidade, onde a fração fibrosa indigestível pode representar até 60% do teor total de FDN, enquanto no milho e sorgo essa fração indigestível é de aproximadamente 30%.

A baixa qualidade da fibra e o baixo teor de proteína são os principais fatores limitantes do uso da cana, mas que podem ser contornados com uma dieta balanceada e bem ajustada.

Canavial

Formas de fornecimento

A forma mais comum de fornecimento é a cana picada in natura, acrescida da mistura de ureia com sulfato de amônio. A desvantagem desse tipo de fornecimento é a necessidade de se ter mão de obra disponível para cortar e picar a forrageira todos os dias. Uma outra forma é a ensilagem, utilizada quando a propriedade não dispõe de mão de obra para o corte diário ou quando o produtor precisa realizar o corte e desocupar toda a área plantada, então a silagem é uma alternativa para armazenar a forrageira.

Se a grande quantidade de carboidratos é uma vantagem da cana in natura, para a ensilagem ela se torna um ponto de atenção, pois todo esse carboidrato vai fermentar e podem ocorrer fermentações indesejáveis que vão comprometer toda a qualidade da silagem. Assim, é indispensável que produtor faça o uso de bons inoculantes no momento da ensilagem.

Ficou curioso e quer aprender mais sobre pecuária?
Leia mais em: https://esteiogestao.com.br/blog/

Use um sistema que te permite acessar as informações a qualquer momento e em qualquer lugar.

Você é produtor e quer gerenciar o seu negócio de forma prática e rápida? Conheça as nossas soluções agropecuárias em: https://esteiogestao.com.br/produtos-e-servicos/

Autor:

Eduarda - Autora do conteúdo Controle estratégico de carrapatos

Eduarda Viana

Zootecnista, criadora do perfil @dicasdazootecnista no Instagram.

Nos acompanhe nas redes sociais e fique por dentro de todas as novidades.

Deixe um Comentário