Saiba o que é e como evitar um surto de clostridioses no seu rebanho

Chamamos de clostridioses o grupo de infecções e intoxicações causadas por bactérias anaeróbias formadoras de esporos do gênero Clostridium. Estes microrganismos são encontrados normalmente no intestino dos animais e no ambiente, podendo estar no solo, na água, nas instalações e nas pastagens.

Essas doenças causam inúmeros prejuízos aos pecuaristas, visto que geralmente ocorrem na forma de surtos, causando a morte de grande parte dos animais do rebanho. Além disso, a doença evolui de forma rápida, podendo levar o animal a óbito em poucas horas dependendo da bactéria causadora. A estimativa é de que pelo menos 400 mil animais morrem por ano em todo Brasil em decorrência dessas doenças.

As clostridioses possuem uma resistência muito grande, pois são capazes de formar esporos que permanecem longos períodos no ambiente com capacidade infectante, o que torna a sua erradicação praticamente impossível de ser feita.

As doenças podem ser classificadas em 4 grupos, de acordo com a bactéria causadora e sua forma de ação no organismo animal, conforme tabela abaixo:

Tabela clostridioses

Fonte: Milkpoint.

Como prevenir?

As clostridioses mais comuns de acometer os bovinos são o botulismo, tétano, carbúnculo sintomático e gangrena gasosa e a melhor forma de prevenir os surtos no rebanho é por meio da vacinação sistemática e de um bom manejo.

Hoje existem disponíveis no mercado vacinas que são polivalentes, isto é, atuam contra vários tipos de clostridioses, e devem ser aplicadas anualmente em todo rebanho. O produtor pode aproveitar o manejo de alguma outra vacina, como a da febre aftosa, por exemplo, e vacinar junto contra a clostridiose, evitando estresse dos animais e otimizando o manejo e mão de obra. Converse com o técnico responsável e peça para ele montar um bom calendário sanitário para a sua propriedade.

Aliado à vacinação, o pecuarista deve tomar alguns cuidados com relação ao manejo e ao ambiente dos animais, adotando algumas ações, como:

  • Nutrição adequada, a fim de se evitar desbalanceamento de nutrientes e minerais, que leva o animal a apresentar comportamento alimentar depravado como a ingestão de ossos e terra, por exemplo;
  • Cercar fontes de água não potável, como açudes;
  • Recolher lixos e restos de alimentos deteriorados e mofados, evitando o acesso e a ingestão pelos animais;
  • Utilizar agulhas descartáveis na aplicação de vacinas e medicamentos.

A prevenção é o melhor caminho para evitar um surto de clostridioses no seu rebanho, portanto, tenha um bom calendário sanitário e não deixe de vacinar seus animais.

Ficou curioso e quer aprender mais sobre pecuária?
Leia mais em: https://esteiogestao.com.br/blog/

Use um sistema que te permite acessar as informações a qualquer momento e em qualquer lugar.

Você é produtor e quer gerenciar o seu negócio de forma prática e rápida? Conheça as nossas soluções agropecuárias em: https://esteiogestao.com.br/produtos-e-servicos/

Autor:

Eduarda - Autora do conteúdo Controle estratégico de carrapatos

Eduarda Viana

Zootecnista, criadora do perfil @dicasdazootecnista no Instagram.

Nos acompanhe nas redes sociais e fique por dentro de todas as novidades.

Deixe um Comentário