O produtor precisa olhar os seus números e analisar a viabilidade de engordar os machos leiteiros, complementando a renda da propriedade

A criação de bezerros machos na pecuária leiteira não é uma prática muito habitual, visto que por muito tempo não era vantajoso realizar a engorda destes animais devido às características genéticas não tão favoráveis ao ganho de peso.

Além disso, por ser tratar de pecuária leiteira, as bezerras fêmeas têm a função de substituírem as vacas ou aumentar o rebanho, enquanto os machos, por não produzirem leite, aumentam os custos e não geram receita. Sendo assim, muitos produtores optam por doá-los, já que mantê-los no rebanho não é viável economicamente.

Com as recentes mudanças no cenário global, que resultaram na valorização do preço da arroba do boi, muitos debates referentes à criação de machos leiteiros vieram à tona. Mesmo tendo um custo por arroba mais elevado e necessitando de maior tempo para atingir o peso de abate, para muitos produtores tem sido viável a sua criação e engorda para posterior venda ao frigorífico.

Bezerro recém-nascido

Quais os desafios na criação dos machos leiteiros?

Antes de tomar a decisão de cria-los, o produtor precisa conhecer todas as variáveis e os desafios que envolvem a criação de um macho leiteiro, como:

  • Custo de criação mais elevado: ao contrário dos bezerros de corte, que são amamentados via aleitamento natural, isto é, permanecem ao pé da vaca por aproximadamente 6 a 8 meses, o bezerro leiteiro precisa ser aleitado artificialmente, como as fêmeas, com quantidade de leite suficiente para um bom desenvolvimento e crescimento, além de receber volumoso e concentrado.
  • Menor rendimento de carcaça: por não possuírem genética especializada para maximizar o ganho de peso, os machos leiteiros apresentam menor eficiência alimentar e menor rendimento de carcaça.
  • Menor ganho de peso: demoram mais tempo para atingirem o peso de abate, aumentando o custo da arroba produzida.
  • Necessidade de alimentos: a propriedade precisa ter alimento suficiente para alimentar os animais leiteiros e os que serão engordados. Para isso, o planejamento de volumoso é essencial.

Como saber se é a viável engordar os machos leiteiros?

Vale lembrar que cada produtor necessita olhar os seus números e a sua realidade, para então analisar a viabilidade de engordar os machos leiteiros.  É necessário incluir algumas variáveis para que essa análise seja feita da melhor forma possível.

Confira abaixo o que você precisa saber para analisar a viabilidade de engordar os machos leiteiros:

  • Custos relacionados à inseminação e alimentação da vaca durante a gestação;
  • Custo com mão-de-obra: criar os machos irá aumentar a necessidade de mão-de-obra?
  • Custo com aleitamento: contabilizar todo o volume de leite necessário durante a fase de aleitamento;
  • Custo com alimentação: ração e volumosos;
  • Custos com vacinas, vermífugos e medicamentos.

Após descobrir o custo de produção de um macho leiteiro na sua propriedade o produtor poderá analisar se realmente será viável ou não realizar a sua criação, e optar por criá-lo ou doá-lo, como fazem a maioria dos produtores.

Ficou curioso e quer aprender mais sobre pecuária?
Leia mais em: https://esteiogestao.com.br/blog/

Use um sistema que te permite acessar as informações a qualquer momento e em qualquer lugar.

Você é produtor e quer gerenciar o seu negócio de forma prática e rápida? Conheça as nossas soluções agropecuárias em: https://esteiogestao.com.br/produtos-e-servicos/

Autor:

Eduarda - Autora do conteúdo Controle estratégico de carrapatos

Eduarda Viana

Zootecnista, criadora do perfil @dicasdazootecnista no Instagram.

Nos acompanhe nas redes sociais e fique por dentro de todas as novidades.

Deixe um Comentário