As pastagens alcançam cerca de 70% de todo o seu potencial produtivo na época das chuvas, sendo uma ótima  oportunidade para o produtor aumentar a produtividade e reduzir custos, principalmente os custos com a alimentação do rebanho

A época das chuvas, que na maior parte do país ocorre durante os meses de outubro a março, é a oportunidade que o produtor possui para aumentar a produtividade e reduzir custos, principalmente os custos com a alimentação do rebanho. Porém, é preciso planejar e manejar bem as pastagens neste período para conseguir aproveitar ao máximo os benefícios desta época.

As pastagens alcançam cerca de 70% de todo o seu potencial produtivo na época das chuvas, devido à grande umidade, temperaturas elevadas e maior incidência de luz, que são fatores limitantes para o seu desenvolvimento. Como no período seco esses três fatores se tornam mais escassos, as forrageiras não conseguem se desenvolver tão bem, reduzindo de forma expressiva a sua produção.

Pensando nisso, o produtor precisa manejar corretamente o pasto na época das chuvas para, além de maximizar a produção de forragens e ganho de peso dos animais, conseguir ter forrageira suficiente para a época da seca, evitando a perda de peso do rebanho.

Nelore pastejando

Dicas de manejo no período da chuva

Partindo do pressuposto que a gramínea estabelecida seja a mais indicada para a propriedade, o produtor precisa trabalhar em cima de alguns pontos que vão fazer a diferença na quantidade de forragem produzida e na qualidade dessa forragem quando chegar o período seco, além de melhorar o ganho de peso dos animais. Confira:

  • Adubação e correção do solo: a adubação das pastagens é essencial para garantir que a forrageira tenha nutrientes suficientes para crescer e se desenvolver, aumentado a produção de folhas verdes. Além disso, permite maior crescimento do sistema radicular da planta, favorecendo a busca por umidade em camadas mais profundas do solo, facilitando a rebrota. Para isso, a análise do solo é fundamental.
  • Controle de pragas e plantas invasoras: tão importante quanto a adubação é o controle das plantas invasoras, que competem com a pastagem por nutrientes. O produtor precisa estar sempre percorrendo as áreas, observando se há plantas invasoras e/ou ataque de pragas, que podem destruir as pastagens. Quanto mais cedo o produtor identificar esses problemas, mas rápido poderá agir, evitando prejuízos maiores.
  • Avaliar o desempenho dos animais e utilizar suplementos que vão maximizar o ganho de peso, aproveitando a maior oferta de forragem com qualidade. É importante que o manejo nutricional esteja ajustado para que os animais consigam desempenhos melhores a um custo menor para o produtor. Uma boa nutrição é responsável não somente pelo maior ganho de peso, mas pela melhora nos índices reprodutivos também.
  • Controle de entrada e saída dos animais dos piquetes de acordo com a forrageira e com o sistema, seja pastejo contínuo ou rotacionado. Respeitar as alturas e de entrada e saída de cada forrageira é importante para garantir que os animais consumam a forragem no seu estádio mais produtivo e que não prejudique a rebrota, favorecendo o seu crescimento.

Essas são práticas simples de manejo que torna a pecuária uma atividade mais sustentável, por meio da intensificação do uso das pastagens, aumento da produtividade e melhores resultados financeiros para o produtor.

Ficou curioso e quer aprender mais sobre pecuária?
Leia mais em: https://esteiogestao.com.br/blog/

Use um sistema que te permite acessar as informações a qualquer momento e em qualquer lugar.

Você é produtor e quer gerenciar o seu negócio de forma prática e rápida? Conheça as nossas soluções agropecuárias em: https://esteiogestao.com.br/produtos-e-servicos/

Autor:

Eduarda - Autora do conteúdo Controle estratégico de carrapatos

Eduarda Viana

Zootecnista, criadora do perfil @dicasdazootecnista no Instagram.

Nos acompanhe nas redes sociais e fique por dentro de todas as novidades.

Deixe um Comentário