Saiba como potencializar os resultados nesta fase utilizando técnicas que podem ser implementadas com facilidade

A sazonalidade de produção das forrageiras é um fator de grande impacto na pecuária de corte. A disponibilidade e a qualidade das pastagens ficam comprometidas durante os meses de pouca chuva e baixas temperaturas, resultando em pouca oferta de nutrientes  para o rebanho e, consequentemente, baixo desempenho produtivo.

No entanto, à medida que as chuvas começam a voltar e a temperatura aumenta, geralmente entre setembro e outubro, podemos observar mudanças nas pastagens, como o início da rebrota das forrageiras. E é nessa hora que o pecuarista precisa ficar atento, pois essa rebrota determinará a formação do pasto que será utilizado durante o período das águas. É normal que os animais busquem consumir essas folhas novas, o que acaba comprometendo o desenvolvimento da planta e pode até gerar alguns casos de diarreia devido à alta digestibilidade e alto teor de proteína.

Gado no pasto

Como proceder neste período?

Como as pastagens ainda estão se recuperando e o volume de chuvas é incerto, é essencial fornecer suplementação nutricional ao rebanho. Isso pode incluir o uso de alimentos concentrados, como ração, ou o oferecimento de forragem suplementar. A suplementação garante que os animais recebam os nutrientes necessários para manter o peso e a saúde e é importante verificar se há disponibilidade de cocho, permitindo o acesso de todos os animais.

Mas caso as chuvas se tornarem mais abundantes, é importante rebaixar a macega, aquele resíduo de pasto seco, para permitir que os novos brotos saiam com mais força e vigor para formar o pasto que será utilizado nas águas. Para isso, o pecuarista pode aumentar a taxa de lotação ou utilizar roçadeiras de forma a uniformizar o local. Além disso, a adubação é essencial para garantir os nutrientes necessários para o crescimento e desenvolvimento da forrageira.

Vale lembrar que a suplementação deve ser feita de acordo com cada categoria animal da fazenda e que o planejamento e a definição das metas devem contemplar todos os meses do ano, incluindo o período de transição.

Além disso, é fundamental buscar assistência técnica especializada, pois neste momento a pastagem se encontra em desequilíbrio nutricional. Utilizar o suplemento correto para cada fase do animal vai potencializar o seu desempenho e favorecer os resultados da fazenda.

A transição da estação seca para a das águas é um período crítico na pecuária de corte, pois exige planejamento cuidadoso e estratégias adaptáveis para potencializar os resultados e garantir a sustentabilidade do negócio.

Ficou curioso e quer aprender mais sobre pecuária?
Leia mais em: https://esteiogestao.com.br/blog/

Use um sistema que te permite acessar as informações a qualquer momento e em qualquer lugar.

Você é produtor e quer gerenciar o seu negócio de forma prática e rápida? Conheça as nossas soluções agropecuárias em: https://esteiogestao.com.br/produtos-e-servicos/

Autor:

Eduarda - Autora do conteúdo Controle estratégico de carrapatos

Eduarda Viana – @dicasdazootecnista

Nos acompanhe nas redes sociais e fique por dentro de todas as novidades.

Deixe um Comentário