O período de transição em vacas leiteiras é definido como o intervalo entre as três semanas que antecedem o parto e as três semanas após. Durante esse período, há um aumento expressivo na demanda de nutrientes para produção de leite e as vacas reduzem o consumo, por isso é considerado como um período crítico.

O período seco marca o final da lactação atual e prepara a vaca para a próxima lactação. O tempo de duração do período seco vai depender muito do sistema de produção e também das raças, mas usualmente o tempo de duração mínimo é de sessenta dias para garantir uma boa recuperação das células epiteliais do úbere e completar as reservas corporais.

Período de transição – Importância 

É um período no qual o animal é extremamente desafiado, variando de baixa exigência metabólica até alta exigência de nutrientes necessários para o parto. Durante esse período, as vacas apresentam consumo reduzido, uma vez que o espaço da cavidade abdominal passa a ter maior ocupação pelo trato reprodutivo, limitando fisicamente o consumo de alimentos.  Desta forma, conhecer as modificações metabólicas, fisiológicas e endócrinas que a vaca sofre é importante para o manejo e para os produtores e nutricionistas que  precisam atuar para garantir o sucesso das adaptações do organismo, buscando favorecer a gestação e a lactação sem afetar a saúde do animal. 

Manejo nutricional no período seco

Para auxiliar o início desse período, o  aplicativo da Esteio Gestão Agropecuária possui lembretes para notificar o início da secagem e também configurações para que você possa definir quando se deve iniciar a secagem das suas vacas de acordo com o seu rebanho.

A estratégia adotada para a secagem vai depender de cada um, podendo acontecer de forma mais abrupta ou gradual. O método abrupto é feito pela interrupção das ordenhas em um dia específico, com base na data prevista de parto e no total de dias desejado para o período seco, já a secagem gradual, ocorre pela redução da frequência diária de ordenha durante um período determinado, normalmente se faz uma ordenha por dia até quando a vaca reduzir a produção de leite a um volume desejado.

A secagem deve ser feita até no máximo 230 dias de gestação. Nesta fase, pode ser que algumas vacinas sejam necessárias e claro, deve ser feito um programa de vacinação de acordo com os desafios de cada rebanho. 

Para um melhor acompanhamento dessas vacas, o ideal é separar em grupos com o mesmo tempo gestacional e assim quando iniciar o período seco alimentá-las com pastagem de boa qualidade, feno, silagem e/ou a combinação desses. E para isso, você pode contar com uma ferramenta de gestão que auxilie e permita que você consiga acompanhar a composição do seu rebanho, facilitando na hora do manejo.

Considerações finais

Os períodos seco e de transição são pontos críticos para o sucesso da fêmea leiteira, sendo assim, para obter o sucesso nessa fase é preciso seguir algumas recomendações:

  1. Não permita que as vacas estejam magras ou acima do peso no momento do parto, visto que vacas que parem mais gordas tendem a consumir menos alimentos no pós-parto, precisando mobilizar mais reservas corporais, estando mais sujeitas aos problemas metabólicos, gerando prejuízo na produção de leite. E deste modo, vacas magras no momento do parto não possuem adequadas reservas de energia para suportar este período crítico de transição e manter uma lactação produtiva; 
  2. Aumento no consumo de matéria seca: deve ser feito formulando corretamente a dieta dos animais buscando o fornecendo de uma dieta com volumosos de excelente qualidade e grãos com carboidratos altamente fermentáveis, e mantendo um nível mínimo de ingestão de fibra; 
  3. A adição de gordura na dieta (caroço de algodão ou soja em grão) pode aumentar a ingestão de energia pelo animal, mas sempre  nas proporções corretas;
  4. Oferecer dietas à vontade e manter espaço de cocho adequado para todos os animais; 
  5. Todos os rebanhos sofrem algumas enfermidades e é imprescindível monitorá-las e realizar um bom manejo para assegurar a sanidade dos animais e a qualidade do leite produzido. Com o auxílio de um software de qualidade como o Esteio Gestão Agropecuária, que permite acompanhar de uma maneira fácil e simples o seu rebanho, você consegue obter resultados positivos na sua propriedade.

Bibliografias consultadas:

MARCONDES, M. I.; ROTTA, P. P. et al. Nutrição e manejo de vacas de leite no período de transição. Viçosa, MG. 2019.

Ficou curioso e quer aprender mais sobre pecuária?
Leia mais em: https://esteiogestao.com.br/blog/

Use um sistema que te permite acessar as informações a qualquer momento e em qualquer lugar.

Você é produtor e quer gerenciar o seu negócio de forma prática e rápida? Conheça as nossas soluções agropecuárias em: https://esteiogestao.com.br/produtos-e-servicos/

Autora:

Sábata Raimundi - Autora do Artigo e Veterinária na Esteio Gestão

Sábata C. J. Raimundi

Estudante de Zootecnia da Universidade Federal de Viçosa, atualmente estagiária na empresa Dinni Soluções.

Nos acompanhe nas redes sociais e fique por dentro de todas as novidades.

Deixe um Comentário