As cobranças por ações voltadas à sustentabilidade ambiental crescem a cada dia por parte dos consumidores e da população em geral. E nas empresas do agronegócio, em especial aquelas que trabalham com a pecuária, estas cobranças estão mais intensas, em função do aquecimento global decorrente do desmatamento e da emissão de gases poluentes.

A sigla ESG vem das palavras environmental (ambiental), social e governance (governança), que representa uma série de ações que devem ser praticadas por toda a cadeia produtiva, desde os produtores no campo até o produto final na agroindústria. Em outras palavras, as empresas precisam utilizar estratégias e modelos de negócios que estejam de acordo com as práticas ambientais, sociais e de governança corporativa.

Apesar da popularidade vista atualmente, a sigla ESG foi mencionada pela primeira vez em meados de 2005 em um relatório da ONU, quando as preocupações com o aquecimento global começaram a ganhar destaque na comunidade acadêmica internacional. Como o Brasil é um dos maiores produtores de alimentos do mundo, todos os olhos se voltaram para nós, e com isso a responsabilidade de termos uma produção mais sustentável aumentou.

ESG

Entendendo a sigla ESG

Uma produção eficiente e lucrativa precisa ser sustentável em todas as esferas, não somente na ambiental, mas também na social e econômica, para conseguir se manter no mercado. Desta forma, as ações e práticas ESG visam melhorar a sustentabilidade do agronegócio brasileiro, passando por todos os elos da cadeia produtiva.

  • E – Environmental (Ambiental)

A principal preocupação nesta questão é com o aquecimento global, impulsionado pelas emissões de gases poluentes como o gás carbônico e o metano, e também o desmatamento em áreas de floresta e vegetação nativa. No Brasil, o Governo Federal criou em 2010 o Plano ABC, que estimula a agricultura e a pecuária de baixo carbono, composto por uma série de programas que permitem a adoção de tecnologias para uma produção mais sustentável.

  • S – Social

Na questão social o foco são as relações com os trabalhadores, seja dentro da fazenda ou dentro das empresas. Oferecer oportunidades iguais para todos, prezar pela diversidade da equipe e promover um ambiente saudável são alguns pontos que devem ser cumpridos. Além disso, é importante respeitar as leis trabalhistas, os direitos humanos, a privacidade e a proteção de dados.

  • G – Governance (Governança)

A governança está relacionada com o gerenciamento da fazenda e/ou da empresa, onde atuam os responsáveis que irão promover a execução das práticas ESG, traçando metas e objetivos que deverão ser cumpridos. Transparência, ética, gestão de riscos e controle da empresa são os pontos principais abordados na governança.

As práticas de ESG são importantes não somente no agronegócio, mas em qualquer setor produtivo. Uma empresa que se preocupa com as questões ambientais, sociais e de governança corporativa gera mais confiança junto aos investidores, o que pode ajudar a reduzir os custos operacionais e aumentar a rentabilidade.

Ficou curioso e quer aprender mais sobre pecuária?
Leia mais em: https://esteiogestao.com.br/blog/

Use um sistema que te permite acessar as informações a qualquer momento e em qualquer lugar.

Você é produtor e quer gerenciar o seu negócio de forma prática e rápida? Conheça as nossas soluções agropecuárias em: https://esteiogestao.com.br/produtos-e-servicos/

Autor:

Eduarda - Autora do conteúdo Controle estratégico de carrapatos

Eduarda Viana

Zootecnista, criadora do perfil @dicasdazootecnista no Instagram.

Nos acompanhe nas redes sociais e fique por dentro de todas as novidades.

Deixe um Comentário