Uma fazenda onde as vacas possuem um bom desempenho reprodutivo produz mais leite, mais bezerros e os animais são mais saudáveis

A eficiência reprodutiva do rebanho sempre esteve ligada à rentabilidade do produtor, pois tanto na pecuária leiteira quanto na pecuária de corte é necessário que as vacas estejam saudáveis, ciclando e se reproduzindo, para manter a produção de leite ou para produzir um bezerro que será criado e vendido posteriormente.

Uma fazenda onde as vacas possuem um bom desempenho reprodutivo produz mais leite, mais bezerros, os animais são saudáveis, o manejo é realizado corretamente e os indicadores zootécnicos tendem a ser superiores. Além disso, a taxa de descarte involuntário tende a ser menor, enquanto o descarte voluntário é maior, indicando que o produtor faz o descarte baseado em decisões de manejo que avaliam características como temperamento, produção de leite, idade, entre outros e não por problemas reprodutivos como vacas vazias, alta taxa de abortos ou intervalo de parto longo.

Conheça alguns fatores que afetam diretamente a reprodução das vacas e saiba como melhorar o desempenho reprodutivo do seu rebanho.

Vacas leiteiras
  • Alimentação

Uma boa alimentação é a base para a saúde das vacas e uma dieta balanceada, formulada por um profissional, faz toda a diferença. A subalimentação ou a superalimentação são prejudiciais, tanto para os animais quanto para os resultados do produtor. Animais subnutridos são magros, fracos, com maior risco de desenvolver alguma doença, no caso das vacas, entram em um processo chamado anestro, que é a ausência do ciclo estral e do cio. Já a superalimentação leva ao aumento de peso, deixando as vacas obesas e prejudicando o desenvolvimento dos folículos ovarianos. A obesidade também está relacionada a partos distócicos e ao aumento do número de serviços por concepção. Portanto, a dieta balanceada é a melhor forma de fornecer os nutrientes que a vaca precisa, em cada fase de sua vida.

  • Sanidade

Além da nutrição, a sanidade também é um fator que está intimamente ligado ao desempenho reprodutivo. Ter um bom calendário sanitário garante que doenças reprodutivas não prejudiquem o desempenho das vacas e minimiza os riscos de aborto.

  • Conforto

O conforto das vacas é responsável por aumentar o consumo de alimentos e o tempo em que elas permanecem deitadas, direcionando energia para a produção de leite e melhorando o seu desempenho. Já as vacas que permanecem muito tempo de pé apresentam maiores chances de desenvolvimento de lesões podais, o que reduz o consumo e afeta diretamente a reprodução.

  • Produção de leite

Com ao avanço do melhoramento genético as vacas leiteiras passaram a alcançar produções cada vez maiores, porém a reprodução não acompanhou essa evolução na mesma velocidade. Vários estudos indicam que vacas com produção de leite acima da média apresentam maior intervalo de partos e sinais menos evidentes de cio, além da duração do cio ser menor.

  • Manejo

O manejo muitas vezes é o grande responsável por abortos em vacas sadias. O estresse sentido em momentos de manejo mal conduzidos (brutalidade, longas caminhadas, gritos, por exemplo) podem levar a abortos espontâneos e causar transtornos para o produtor.

  • Clima

Altas temperaturas, especialmente no verão, são extremamente prejudiciais à reprodução. O estresse térmico provoca desequilíbrios hormonais, alterações nervosas e queda no consumo de alimentos, além de reduzir a taxa de concepção e aumentar a taxa de morte embrionária.

  • Idade

A fertilidade da fêmea é expressa em uma curva que aumenta até um certo ponto e depois declina progressivamente. Normalmente vacas mais velhas apresentam uma fertilidade menor do que vacas mais jovens.

  • Qualidade do sêmen

Seja no uso de inseminação artificial ou de monta natural, a qualidade do sêmen é extremamente importante para aumentar as chances de prenhez. Utilizar sêmen de empresas idôneas e/ou ter machos sadios na propriedade são premissas básicas para melhorar o desempenho reprodutivo.

Além destes fatores, existe um outro que também é decisivo para um bom desempenho reprodutivo do rebanho: o fator humano. Os colaboradores da propriedade devem ser capacitados e treinados para identificar as vacas que estão no cio, para realizarem as inseminações artificias e para registrarem os dados de cada animal, possibilitando a gestão das informações e as tomadas de decisão.

Portanto, produtor, fique atento e invista em mão-de-obra capacitada na sua propriedade.

Ficou curioso e quer aprender mais sobre pecuária?
Leia mais em: https://esteiogestao.com.br/blog/

Use um sistema que te permite acessar as informações a qualquer momento e em qualquer lugar.

Você é produtor e quer gerenciar o seu negócio de forma prática e rápida? Conheça as nossas soluções agropecuárias em: https://esteiogestao.com.br/produtos-e-servicos/

Autor:

Eduarda - Autora do conteúdo Controle estratégico de carrapatos

Eduarda Viana

Zootecnista, criadora do perfil @dicasdazootecnista no Instagram.

Nos acompanhe nas redes sociais e fique por dentro de todas as novidades.

Deixe um Comentário