Devido à composição do leite, a higiene e desinfecção dos equipamentos de ordenha possui um papel fundamental na produção de leite com qualidade

 

A produção de leite é uma atividade complexa que depende da harmonia de vários fatores para que o produtor possa produzir um leite com qualidade e manter a saúde dos animais, resultando numa maior eficiência e lucratividade. E a higiene e desinfecção dos equipamentos de ordenha possui um papel fundamental na qualidade do leite.

O leite é composto por gorduras, proteínas, carboidratos, vitaminas e minerais, que ao entrarem em contato com os equipamentos de ordenha, se aderem à superfície deles, resultando na proliferação de microrganismos que reduzem a qualidade do leite, aumentando a contagem bacteriana. Por este motivo, a higiene dos equipamentos de ordenha é uma etapa essencial para garantir a qualidade do leite.

Vacas sendo ordenhadas

Etapas da limpeza dos equipamentos de ordenha

Alguns fatores são determinantes para que a limpeza seja feita de forma correta e eficaz. São eles:

  • Qualidade, temperatura e volume de água utilizado: a água para limpeza dos equipamentos de ordenha deve ser potável, assim como toda água utilizada nos demais processos da fazenda. Além disso, o volume de água utilizado na limpeza precisa ser suficiente e estar na temperatura adequada para a ação dos detergentes.
  • Uso de detergentes específicos para equipamentos de ordenha e tanque de refrigeração: existem detergentes próprios para este fim, não devendo ser utilizado detergentes comuns como aqueles que usamos para lavar louças, por exemplo.

Sabendo disso, fica mais fácil entender como deve ser feito o processo de limpeza dos equipamentos. Veja abaixo o passo a passo a ser feito no momento da limpeza:

1 – Enxágue inicial com água limpa

Esta é a primeira etapa da limpeza, um enxágue com água morna para retirar todo o resíduo de leite que se encontra nas tubulações, latões, baldes etc., facilitando a remoção química que será feita pelo detergente.

2 – Limpeza com detergente alcalino clorado

Este tipo de detergente tem a função de remover os resíduos de gordura e proteína que ficaram aderidos aos equipamentos. Para esta etapa, é preciso adicionar o detergente em água quente, onde a temperatura pode variar de 70 a 80 graus, dependendo do fabricante.

Na maioria dos produtos, o tempo de ação recomendado é de 10 minutos, e é importante monitorar a temperatura da solução após este tempo. O ideal é que no início da limpeza a água esteja com 70 a 80 graus e após os 10 minutos, com pelo menos 45 graus. A limpeza com detergente alcalino clorado deve ser feita todos os dias, após cada ordenha.

3 – Enxágue com água limpa

Este enxágue vai remover o detergente alcalino, para que não haja interferência na ação do detergente ácido.

4 – Limpeza com detergente ácido

O detergente ácido remove quimicamente os resíduos minerais do leite. Geralmente esta etapa é feita com água morna, ou na temperatura ambiente, variando de acordo com o fabricante. Não é preciso enxaguar. A frequência de utilização do detergente ácido pode ser diária ou semanal, dependendo das particularidades de cada propriedade, como a dureza da água, por exemplo.

5 – Uso de sanitizante

O sanitizante é utilizado para eliminar possíveis microrganismos que estejam presentes nos equipamentos entre uma ordenha e outra. Trinta minutos antes da ordenha começar deve-se circular a solução com sanitizante por 5 minutos.

A limpeza dos equipamentos de ordenha manual ou balde ao pé sem o lavador semi-automático também deve ser feita utilizando os detergentes alcalino clorado e ácido, além dos utensílios próprios para limpeza de teteiras, mangueiras e latões. O uso de água morna vai facilitar a retirada dos resíduos e garantir que os utensílios estejam limpos para a próxima ordenha.

 

O mesmo processo vale para o tanque de expansão, que deve ser limpo e higienizado após cada coleta do leite, seguindo os mesmos passos da limpeza da ordenha. Todas as partes do tanque devem ser esfregadas, como parte interna e externa, agitador, válvula de saída do leite e parte interna e externa da tampa.

A higiene dos equipamentos permite reduzir a contagem bacteriana do leite do tanque e evitar novos casos de mastite, que podem ocorrer por meio de teteiras sujas e contaminadas. Portanto, esta etapa deve ser feita com todo cuidado, observando todos os detalhes, para garantir a qualidade do leite e a saúde do úbere das vacas.

 

 

Ficou curioso e quer aprender mais sobre pecuária?
Leia mais em: https://esteiogestao.com.br/blog/

Use um sistema que te permite acessar as informações a qualquer momento e em qualquer lugar.

Você é produtor e quer gerenciar o seu negócio de forma prática e rápida? Conheça as nossas soluções agropecuárias em: https://esteiogestao.com.br/produtos-e-servicos/

Autor:

Eduarda - Autora do conteúdo Controle estratégico de carrapatos

Eduarda Viana

Zootecnista, criadora do perfil @dicasdazootecnista no Instagram.

Nos acompanhe nas redes sociais e fique por dentro de todas as novidades.

Deixe um Comentário