Saiba porque é preciso dar atenção ao manejo no período seco

O período seco é uma fase crítica para as vacas leiteiras, definido por diversas mudanças fisiológicas e metabólicas que impactam na saúde das vacas e na produção da próxima lactação. Por este motivo, ele não deve ser negligenciado, pois, apesar dos animais não estarem produzindo leite, eles têm necessidades que precisam ser acompanhadas para não afetar o desempenho após o parto.

O período seco inicia-se normalmente 60 dias antes da previsão do parto, com a interrupção da lactação e pode ser dividido em duas fases:

  • Período seco: 60 a 21 dias antes do parto
  • Pré-parto: 21 dias antes do parto

É importante compreender que a secagem não consiste apenas em promover “descanso” para a vaca. É um período extremamente necessário para a recuperação da glândula mamária, a fim de proporcionar maior produção de leite na próxima lactação. Essa recuperação também é fundamental para a qualidade do colostro, principal via de transferência de imunidade para a bezerra. Nesses últimos 60 dias antes do parto ocorre o maior desenvolvimento do bezerro e se a vaca estiver seca, um grande aporte sanguíneo será direcionado para o útero ao invés da glândula mamária, favorecendo a entrega de nutrientes que irão contribuir para o nascimento de um bezerro saudável.

Além disso, é no momento da secagem que tratamos as infecções intramamárias subclínicas, utilizando antibióticos de longa ação que vão agir na glândula mamária eliminando a mastite e evitando novas infecções no período seco.

Vaca leiteira pastejando

Cuidados necessários durante o período seco

No momento da secagem do animal é importante fazer a ordenha completa e desinfetar bem os tetos antes de aplicar o antibiótico de vaca seca e o selante. Isso vai reduzir as chances de novas infecções durante o período seco, cujos primeiros dias são bem desafiadores para as vacas.

Além do cuidado com a saúde da glândula mamária, o produtor precisa se atentar para o manejo nutricional e para o lote pré-parto. A dieta destas vacas não pode ser a mesma das vacas em lactação, é preciso ajustar para que elas não ganhem peso durante esse período, principalmente as vacas do pré-parto. Estas precisam receber uma dieta específica para evitar a ocorrência de distúrbios metabólicos no pós-parto, como hipocalcemia e cetose, por exemplo.

Da mesma forma, o ambiente em que essas vacas passarão o período seco e o pré-parto também influenciam no seu desempenho após o retorno à lactação. É importante cuidar do conforto e da higiene, para se evitar casos de mastite, estresse térmico, disputas hierárquicas dentro do lote e redução drástica do consumo. Portanto, algumas medidas são necessárias, como:

  • Sombreamento e resfriamento das vacas;
  • Espaço de cocho adequado;
  • Evitar superlotação;
  • Ter acesso à água limpa e de qualidade;
  • Ter um ambiente limpo e seco.

Tudo isso impacta negativamente na produção, na saúde e no desempenho reprodutivo das vacas após o parto. Por isso é tão importante ter um bom manejo no período seco, especialmente para as vacas que estão no pré-parto. A prevenção dos problemas é muito mais barata do que a resolução deles, o produtor só tem a ganhar, tanto pela maior produção quanto pela saúde e reprodução das vacas após o parto.

Ficou curioso e quer aprender mais sobre pecuária?
Leia mais em: https://esteiogestao.com.br/blog/

Use um sistema que te permite acessar as informações a qualquer momento e em qualquer lugar.

Você é produtor e quer gerenciar o seu negócio de forma prática e rápida? Conheça as nossas soluções agropecuárias em: https://esteiogestao.com.br/produtos-e-servicos/

Autor:

Eduarda - Autora do conteúdo Controle estratégico de carrapatos

Eduarda Viana

Zootecnista, criadora do perfil @dicasdazootecnista no Instagram.

Nos acompanhe nas redes sociais e fique por dentro de todas as novidades.

Deixe um Comentário