Entenda como evitar o aparecimento de LINA no rebanho

A qualidade do leite e sua estabilidade térmica desempenham um papel crucial na indústria, assegurando que o leite possa ser processado adequadamente e chegue ao consumidor em condições ideais. Para determinar se o leite atende a esses requisitos, a indústria realiza o teste do álcool, também conhecido como teste do alizarol. Esse teste é realizado pelos transportadores de leite durante a coleta nas fazendas e avalia duas características fundamentais: a acidez e a estabilidade térmica.

A acidez é avaliada por meio da mudança na coloração da solução, enquanto a estabilidade é determinada pela formação de coágulos (ou grumos). É esperado que o leite não apresente coágulos e que a solução adquira uma tonalidade vermelho tijolo. Essa condição indica que o leite pode ser coletado pelo transportador com segurança.

Mas como o teste do álcool mede a estabilidade do leite?

 O leite é uma mistura complexa de glóbulos de gordura, caseínas em suspensão, minerais, vitaminas e lactose, todos em equilíbrio, dependendo do pH do leite. A estabilidade das caseínas é essencial para permitir o aquecimento e processamento adequados do leite na indústria. Quando o álcool é adicionado ao leite, ele desidrata as micelas de caseína, reduzindo as cargas negativas dos íons presentes. Isso faz com que as caseínas se aproximem dentro das micelas, e se essa aproximação for excessiva, ocorre a formação dos coágulos. As caseínas que permanecem estáveis no teste do álcool também se mostram estáveis durante o aquecimento na indústria, destacando a importância desse teste, uma vez que a estabilidade do leite impacta toda a cadeia de produção láctea.

Quanto à composição do LINA —leite instável não ácido— ela não difere significativamente do leite estável, mas algumas diferenças comuns incluem um menor teor de lactose e um maior teor de cálcio iônico no LINA. Isso torna o LINA adequado para a produção de iogurtes, queijos e bebidas lácteas, embora haja uma ligeira perda de rendimento na fabricação de queijos.

Análise de leite LINA

Prejuízos do LINA

No entanto, é importante destacar os prejuízos para o setor quando o leite do produtor é rejeitado no teste do álcool/alizarol. Nesse caso, o leite não é coletado e o produtor não recebe o pagamento correspondente ao volume entregue, resultando em prejuízos significativos. 

A indústria evita receber esse leite devido ao receio de que ele comprometa a produção, afetando o fornecimento de matéria-prima e a programação de produção.

Causas do LINA

Mas o que causa o aparecimento do LINA? Embora as causas exatas não sejam totalmente conhecidas, vários estudos apontam para fatores que reduzem a estabilidade do leite:

  • Restrição alimentar e deficiências nutricionais, como mudanças abruptas na dieta, podem aumentar a instabilidade do leite;
  • Distúrbios metabólicos, como acidose e cetose, não apenas reduzem a produção, mas também aumentam a instabilidade do leite;
  • O estágio de lactação também impacta, com o início e o final da lactação, afetando a estabilidade de maneiras diferentes;
  • Estresse térmico, que pode aumentar os níveis de cortisol e reduzir a estabilidade do leite.

Como prevenir?

A prevenção do LINA é multifatorial e envolve fornecer uma dieta adequada aos animais, evitando distúrbios nutricionais e metabólicos, bem como garantir o conforto térmico das vacas para evitar o estresse térmico, que é prejudicial à atividade leiteira.

 Cuidar do rebanho é fundamental para evitar prejuízos associados ao LINA.

Ficou curioso e quer aprender mais sobre pecuária?
Leia mais em: https://esteiogestao.com.br/blog/

Use um sistema que te permite acessar as informações a qualquer momento e em qualquer lugar.

Você é produtor e quer gerenciar o seu negócio de forma prática e rápida? Conheça as nossas soluções agropecuárias em: https://esteiogestao.com.br/produtos-e-servicos/

Autor:

Eduarda - Autora do conteúdo Controle estratégico de carrapatos

Eduarda Viana – @dicasdazootecnista

Nos acompanhe nas redes sociais e fique por dentro de todas as novidades.

Deixe um Comentário