O sucesso de sua utilização depende do manejo correto de toda a estrutura, que além de proporcionar conforto para os animais promove melhorias na qualidade do leite

O Compost Barn é um sistema de confinamento que vem sendo muito utilizado no Brasil por produtores que buscam aumentar a produção de leite por meio do maior conforto oferecido às vacas. O sucesso de sua utilização depende do manejo correto de toda a estrutura, que além de proporcionar conforto para os animais promove melhorias na qualidade do leite e nos índices reprodutivos.

A principal característica do Compost Barn é o material orgânico distribuído sobre o piso, que é utilizado como cama para as vacas, conferindo maior conforto a estes animais. Neste sistema os animais são alojados em galpões cobertos, podendo circular livremente exercitando seus instintos sociais com o grupo. A cama é composta por materiais ricos em carbono, que em contato com os dejetos iniciam o processo de compostagem.

Cama

A cama precisa ser macia e estar sempre seca, pois é o local onde os animais se deitam e caminham. Então, o primeiro passo para se obter bons resultados no Compost é a escolha do material da cama, que pode ser maravalha, casca de amendoim, casca de café, palhada de soja ou trigo etc. Isso vai depender da disponibilidade desses materiais na região onde se encontra a propriedade rural, visto que a aquisição precisa ser de fácil acesso, além de economicamente viável.

Para que ocorra a compostagem é necessário introduzir oxigênio na cama, revolvendo todo o material pelo menos duas vezes ao dia com o uso de um escarificador ou enxada rotativa acoplados a um trator. Isso vai reduzir a umidade da cama, contribuindo para que as vacas fiquem mais limpas.

Vacas em Compost Barn

Ventilação

Um outro ponto crítico no manejo do Compost Barn é a ventilação constante. Um erro muito comum é pensar que os ventiladores servem apenas para melhorar o conforto térmico dos animais, porém eles são fundamentais para manter a cama seca a ajudar na compostagem.

Muitos produtores ligam os ventiladores somente nos dias mais quentes para economizar energia, o que é um erro grave, pois a falta de ventilação constante aumenta a umidade da cama, favorecendo a adesão dos resíduos nos tetos e predispondo a ocorrência de casos de mastite. Além disso, a alta umidade contribui para que a compostagem não ocorra de maneira correta, exigindo que a troca da cama seja feita antes do tempo previsto, aumentando os custos do produtor.

Lotação

O número de animais dentro do galpão é outro ponto que deve ser observado. Recomenda-se que haja uma área de 12 m²/ vaca, pensando no conforto dos animais e na umidade da cama. A superlotação dos galpões deixa a cama mais úmida e os animais mais sujos, dificultando o manejo e reduzindo o conforto das vacas, que terão menos espaço para circular e descansar. Sendo assim, ao optar por este sistema o produtor e o técnico devem estar atentos às dimensões necessárias do galpão.

Como qualquer sistema de produção, o Compost Barn apresenta excelentes resultados quando bem manejado, acarretando aumento da produção de leite, maior saúde da glândula mamária e maior conforto dos animais.

Ficou curioso e quer aprender mais sobre pecuária?
Leia mais em: https://esteiogestao.com.br/blog/

Use um sistema que te permite acessar as informações a qualquer momento e em qualquer lugar.

Você é produtor e quer gerenciar o seu negócio de forma prática e rápida? Conheça as nossas soluções agropecuárias em: https://esteiogestao.com.br/produtos-e-servicos/

Autor:

Eduarda - Autora do conteúdo Controle estratégico de carrapatos

Eduarda Viana

Zootecnista, criadora do perfil @dicasdazootecnista no Instagram.

Nos acompanhe nas redes sociais e fique por dentro de todas as novidades.

Deixe um Comentário