O período de chuvas representa uma boa oportunidade para os produtores elevarem a produtividade e reduzirem os custos

O período de chuvas, predominantemente de outubro a março na maior parte do Brasil, representa uma boa oportunidade para os produtores elevarem a produtividade e reduzirem os custos associados à alimentação do rebanho. Contudo, uma gestão cuidadosa e planejada das pastagens é essencial nesse intervalo, a fim de otimizar os benefícios dessa temporada.

Durante as chuvas, as pastagens atingem aproximadamente 70% de seu potencial produtivo do ano. Devido à umidade abundante, temperaturas elevadas e maior incidência de luz, fatores cruciais para o desenvolvimento do pasto. No período seco, esses elementos tornam-se escassos, resultando em uma notável redução na produção das forrageiras.

Diante disso, é necessário que os produtores adotem uma abordagem estratégica no manejo das pastagens durante as chuvas. Isso não apenas maximizará a produção de forragens e o ganho de peso dos animais, mas também garantirá uma reserva adequada de forragem para o período de seca, prevenindo a perda de peso do rebanho.

Manejo durante o período das águas

Eis algumas ações que vão potencializar a produção de forragem nesse período:

  • Adubação e correção do solo: a adubação é crucial para fornecer nutrientes essenciais às forrageiras, promovendo o crescimento de folhas verdes e ampliando o sistema radicular para buscar umidade e nutrientes em camadas mais profundas do solo.
  • Controle de pragas e plantas invasoras: o manejo eficiente requer a vigilância constante contra plantas invasoras e pragas, que competem por nutrientes. Identificar e agir precocemente evita prejuízos significativos.
  • Avaliação do desempenho dos animais e uso de suplementos: monitorar o desempenho dos animais permite ajustar o manejo nutricional, otimizando o ganho de peso e a reprodução. A utilização de suplementos bem escolhidos, juntamente com a maior oferta de forragem, irá potencializar o desempenho dos animais.
  • Controle de entrada e saída dos animais dos piquetes: respeitar alturas e ciclos de entrada e saída em piquetes, de acordo com o sistema de pastejo, é essencial para garantir o consumo eficiente da forragem no estágio mais produtivo, sem prejudicar a rebrota.

Ao adotar práticas de manejo conscientes e estratégias adaptativas, os pecuaristas podem transformar a estação das águas em um período de crescimento exponencial. A gestão inteligente das pastagens não apenas impulsiona a produção de forragem, mas também preserva a sustentabilidade a longo prazo, garantindo um ambiente propício para o desenvolvimento do rebanho e o sucesso duradouro da atividade.

Ficou curioso e quer aprender mais sobre pecuária?
Leia mais em: https://esteiogestao.com.br/blog/

Use um sistema que te permite acessar as informações a qualquer momento e em qualquer lugar.

Você é produtor e quer gerenciar o seu negócio de forma prática e rápida? Conheça as nossas soluções agropecuárias em: https://esteiogestao.com.br/produtos-e-servicos/

Autor:

Eduarda - Autora do conteúdo Controle estratégico de carrapatos

Eduarda Viana – @dicasdazootecnista

Nos acompanhe nas redes sociais e fique por dentro de todas as novidades.

Deixe um Comentário