A pecuária sustentável é aquela que envolve a responsabilidade ambiental,  social e o bem-estar animal aliados à viabilidade econômica

A pecuária de corte possui um papel de destaque no agronegócio nacional e mundial, sendo o Brasil o segundo maior produtor de carne do mundo. A pressão mundial por produção sustentável e que não agrida o meio ambiente cresce cada vez mais, passando a ser não somente um questionamento do consumidor, mas um fator de decisão de consumo. Assim, aumenta-se a necessidade de adotar práticas sustentáveis que viabilizam uma pecuária mais integrativa e, ao mesmo tempo, lucrativa para o produtor.

A conservação ambiental é o principal assunto quando se fala em sustentabilidade, mas vale lembrar que sustentabilidade não envolve somente o meio ambiente. Uma pecuária sustentável é aquela que envolve também a responsabilidade social e o bem-estar animal, aliados à viabilidade econômica da atividade.

bovinos de corte

Sustentabilidade nas fazendas brasileiras

Apesar das inúmeras informações divergentes sobre a participação da pecuária na emissão de gases que aumentam o efeito estufa, muitas pessoas desconhecem como é o ciclo de produção da carne no Brasil. A maioria das fazendas brasileiras utilizam as pastagens como única fonte de alimento volumoso para os animais, ou seja, o pasto é o principal recurso que o produtor possui para alimentar os animais, portanto, é totalmente contraproducente para o pecuarista não cuidar das pastagens disponíveis na fazenda.

E uma das principais práticas sustentáveis é justamente o manejo correto das pastagens. Entender o ciclo das forrageiras, realizar as adubações e controle de plantas invasoras e respeitar a capacidade suporte são pontos básicos que o pecuarista precisa seguir para conseguir pastagens mais produtivas e bem estabelecidas, que vão impedir a erosão e a degradação do solo, além de melhorar a retenção de água e favorecer o desenvolvimento dos animais.

Uma outra forma de aumentar a conservação do solo e, ao mesmo tempo, promover o bem-estar dos animais é por meio do consorcio com florestas, a chamada integração pecuária-floresta ou integração lavoura-pecuária-floresta, quando uma terceira cultura é inserida no sistema de produção. Estes sistemas possibilitam um maior bem-estar dos animais, refletindo em maior desempenho e lucro para o produtor.

Outras práticas sustentáveis que são muito utilizadas pelos pecuaristas são o melhoramento genético e a nutrição adequada. Animais geneticamente superiores, que possuem uma capacidade maior de ganho de peso e que são adaptados à região ou ao sistema de produção da fazenda conseguem se desenvolver melhor e atingem a idade ao abate em menos tempo. E, aliando uma boa nutrição, o produtor consegue ótimos resultados produtivos e econômicos. A nutrição adequada também reduz a emissão de metano, um dos principais gases do efeito estufa e o atributo mais criticado quando o assunto é a pecuária.

Além da parte ambiental, a pecuária de corte também é sustentável na esfera social, pois emprega milhares de trabalhadores, na cadeia produtiva que se estende desde à fazenda até os frigoríficos, passando pelos setores de insumos e serviços voltados para a atividade.

Portanto, é plenamente possível que a pecuária de corte seja sustentável nos seus três pilares, ambiental, social e econômica, crescendo de forma consciente e lucrativa.

Ficou curioso e quer aprender mais sobre pecuária?
Leia mais em: https://esteiogestao.com.br/blog/

Use um sistema que te permite acessar as informações a qualquer momento e em qualquer lugar.

Você é produtor e quer gerenciar o seu negócio de forma prática e rápida? Conheça as nossas soluções agropecuárias em: https://esteiogestao.com.br/produtos-e-servicos/

Autor:

Eduarda - Autora do conteúdo Controle estratégico de carrapatos

Eduarda Viana

Zootecnista, criadora do perfil @dicasdazootecnista no Instagram.

Nos acompanhe nas redes sociais e fique por dentro de todas as novidades.

Deixe um Comentário