Saiba mais como funciona essa técnica de produção animal, onde a idade ao abate é reduzida com aumento no peso da carcaça

 

O Boi 777 é uma técnica desenvolvida pela Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA) que visa reduzir o tempo de abate dos animais e aumentar o peso da carcaça, além de melhorar a qualidade da carne. Os produtores do Brasil, em média, produzem um boi com 18 arrobas em aproximadamente três anos, considerando todas as fases do ciclo produtivo, como cria, recria e engorda.

Com o método Boi 777 a meta é abater animais com 21 arrobas em no máximo dois anos, pois o método preconiza que os animais consigam alcançar sete arrobas na desmama, sete na recria e mais sete na fase de terminação ou engorda. Isso aumenta a produtividade e traz mais lucros para o produtor.

Mas além da produção de sete arrobas em cada fase, o diferencial desta técnica é fazer com que o produtor passe a fazer planejamentos e estabelecer metas, por meio do diagnóstico da sua propriedade. Assim ele poderá traçar planos coerentes com a sua realidade e ajustar a estratégia para alcançar os resultados.

Gado no pasto

O método em cada fase do ciclo produtivo

1 – Cria:

Para alcançar as sete arrobas no desmame, entre sete e oito meses de idade, o manejo sanitário e nutricional dos animais precisa ser muito bem-feito. As pastagens precisam ter qualidade e a suplementação não pode faltar, nem para as matrizes e nem para os bezerros.

O creep-feeding é um grande aliado desta fase, já que permite que os bezerros comam ração e ao mesmo tempo, permaneçam com as mães – o que favorece o desenvolvimento das papilas ruminais e aumenta o ganho de peso.

2 – Recria

Esta é a fase mais longa da pecuária de corte, chegando a 24 meses em média no sistema tradicional e variando entre 10 e 12 meses no método Boi 777.

Para criação a pasto é importante realizar o manejo das pastagens junto com a suplementação. Nesta fase os animais ainda estão em crescimento, por isso a estratégia nutricional é fundamental para que se alcance as sete arrobas. Ter pastagens de qualidade no período das águas e suplementação adequada no período da seca garante o ganho de peso e reduz o tempo de duração desta fase.

3 – Engorda/ terminação

Este período é o mais curto e esta fase é crítica para determinar a qualidade da carne com a deposição de gordura e o rendimento da carcaça. Mais do que nunca o manejo nutricional deve ser ajustado e a ração oferecida deve ser de qualidade, na maioria das vezes com alta inclusão de grãos, possibilitando o ganho de peso a redução no tempo de abate.

 

Como você viu, o sucesso do método depende de gestão e planejamento. Avaliar as condições de produção de alimento da propriedade, os manejos envolvidos, a genética dos animais e a  equipe de funcionários envolvidos são pontos fundamentais para que o produtor consiga produzir as vinte e uma arrobas em dois anos.

O produtor precisa ter em mente que será necessário investir em suplementação, e que o retorno não será de um dia para o outro, mas somente quando ele vender os animais. Nesse contexto ter um profissional que faça a assistência técnica e gerencial é imprescindível, visto que será necessário ter todo o controle da atividade, acompanhando os indicadores técnicos e econômicos para alcançar as metas da propriedade.

 

 

 

 

Ficou curioso e quer aprender mais sobre pecuária?
Leia mais em: https://esteiogestao.com.br/blog/

Use um sistema que te permite acessar as informações a qualquer momento e em qualquer lugar.

Você é produtor e quer gerenciar o seu negócio de forma prática e rápida? Conheça as nossas soluções agropecuárias em: https://esteiogestao.com.br/produtos-e-servicos/

Autor:

Eduarda - Autora do conteúdo Controle estratégico de carrapatos

Eduarda Viana

Zootecnista, criadora do perfil @dicasdazootecnista no Instagram.

Nos acompanhe nas redes sociais e fique por dentro de todas as novidades.

Deixe um Comentário