Conheça os prejuízos causados pela mastite e como eles reduzem a lucratividade da sua fazenda

A mastite é a doença de maior importância econômica na pecuária leiteira, responsável por prejuízos que vão muito além dos gastos diretos com tratamentos e descarte de leite, impactando não somente os produtores, mas também a indústria e os consumidores.

Por ser uma doença de causas multifatoriais, isto é, possuir várias causas e diferentes microrganismos que podem infectar a glândula mamária, controlar a mastite é um grande desafio para o produtor. 

O impacto que a mastite causa na qualidade do leite não se resume apenas no aumento da CCS — contagem de células somáticas. A doença afeta toda a fisiologia da síntese do leite na glândula mamária, reduzindo a produção de leite e de seus componentes, como proteína, gordura e lactose. Também altera a concentração de minerais e aumenta o pH do leite, deixando-o levemente alcalino.

Teste CMT

Prejuízos diretos

Os prejuízos diretos estão relacionados com o desembolso financeiro que o produtor realiza quando há casos de mastite na fazenda. São eles:

  • Custos com medicamentos, como antibióticos, anti-inflamatórios, antitérmicos e medicamentos no geral que auxiliam no bem-estar das vacas;
  • Descarte do leite com resíduo de antibiótico das vacas que estão em tratamento, não podendo vender esse leite para nenhum laticínio;
  • Mão de obra adicional, como assistência técnica;
  • Morte das vacas;
  • Custo com medidas de controle, como: análise de CCS individual, análise de cultura microbiológica, selante de tetos, produtos de higiene de ordenha, manutenção do equipamento, etc.
  • Menor preço do leite quando o produtor é fornecedor de um laticínio que possua programas de pagamento por qualidade do leite.

Prejuízos indiretos

Muitas vezes apenas os custos diretos são percebidos pelo produtor, mas o verdadeiro prejuízo da mastite encontra-se nos custos indiretos, que representam 60 a 70% do custo total da mastite:

  • Redução da produção de leite: o maior impacto da mastite se deve à menor capacidade de síntese de leite na glândula mamária. Quando uma vaca está com mastite ocorre a destruição das células secretoras de leite e, dependendo do microrganismo causador, essa destruição pode ser permanente, afetando toda a vida produtiva do animal.
  • Menor desempenho reprodutivo: os mediadores inflamatórios liberados durante o processo de inflamação da glândula mamária afetam alguns órgãos e tecidos, e o sistema reprodutivo é um deles. A mastite reduz a fertilidade das vacas, reduz a taxa de prenhez, aumenta o intervalo de cios e podem causar abortos em vacas gestantes.
  • Descarte prematuro: os descartes prematuros ocorrem quando o produtor é forçado a se desfazer de um animal, seja por doença ou por algum problema que o deixe inviável economicamente. Aliado a isso, o custo de reposição desse animal é bem mais alto do que o do animal descartado.
  • Redução no bem-estar das vacas: vacas com mastite apresentam comportamento alterado, desconforto no momento da ordenha, redução no consumo de alimentos e menor tempo de descanso, permanecendo deitadas por menos tempo.

Portanto, o impacto na lucratividade da fazenda é bem grande, não apenas pelos custos diretos mas principalmente pelos indiretos. Fique atento, pois os prejuízos da mastite reduzem a sua lucratividade e aumentam o seu custo de produção.

Ficou curioso e quer aprender mais sobre pecuária?
Leia mais em: https://esteiogestao.com.br/blog/

Use um sistema que te permite acessar as informações a qualquer momento e em qualquer lugar.

Você é produtor e quer gerenciar o seu negócio de forma prática e rápida? Conheça as nossas soluções agropecuárias em: https://esteiogestao.com.br/produtos-e-servicos/

Autor:

Eduarda - Autora do conteúdo Controle estratégico de carrapatos

Eduarda Viana

Zootecnista, criadora do perfil @dicasdazootecnista no Instagram.

Nos acompanhe nas redes sociais e fique por dentro de todas as novidades.

Deixe um Comentário