Uma boa silagem é capaz de reduzir os custos e aumentar a produção de leite, melhorando a renda do produtor e o desempenho dos animais.

A produção de silagem é uma das formas de garantir alimento para os animais e reduzir custos com a compra de volumosos. Devido à sazonalidade de produção das forrageiras, a silagem é muito utilizada pelos pecuaristas, principalmente pelos produtores de leite, mas requer alguns cuidados durante o processo de produção para que a qualidade se mantenha e os níveis de perda sejam mínimos.

Uma silagem mal feita acarreta perdas na produção de leite, queda no desempenho, aumento do custo de produção e até problemas de saúde para os animais. Por isso é importante ter atenção durante todo o processo de produção de silagem, desde o preparo do solo até a abertura do silo, gerenciando cada etapa para garantir o máximo de qualidade. O fornecimento de volumoso com alto valor nutritivo reduz a necessidade do uso de concentrados, reduzindo assim o custo com a alimentação dos animais, que pode chegar a ser até 70% do custo de produção da atividade.

Silo

Como produzir uma boa silagem?

O sucesso na produção de silagem começa bem antes do plantio, com um bom planejamento da quantidade de silagem que será necessária, quantos animais serão alimentados, qual o tamanho da área a ser plantada, qual híbrido será utilizado e qual será a estimativa dos custos com insumos e serviços.

Confira algumas dicas para você não errar na produção de silagem:

  • Cuide do preparo do solo. Com a análise de solo em mãos, faça as adubações recomendadas para que a planta receba os nutrientes necessários para o seu desenvolvimento e controle as plantas invasoras e pragas que surgirem.
  • O momento da colheita é muito importante. Se atente com o teor de matéria seca, a altura de corte, tamanho de partícula, quebra de grãos e descarregamento no silo. A regulagem das máquinas é de extrema importância e impacta diretamente na qualidade da sua silagem. Lavouras com alta umidade têm maior perda por efluentes e podem apresentar fermentações indesejáveis por bactérias do gênero Clostridium e Coliformes. Já uma umidade baixa dificulta a picagem e compactação do material no silo, deixando a massa com mais oxigênio.
  • Não se esqueça de fazer uma boa compactação. É nesta fase que a maior parte do oxigênio será retirada, favorecendo a fermentação do material. A compactação deve ser contínua, o tempo todo. O uso de inoculantes neste momento auxilia no processo fermentativo, favorecendo a queda do pH e reduzindo perdas.
  • No momento do fechamento e vedação do silo não economize com as lonas. Utilize lonas de alta qualidade e que são mais resistentes, e adicione alguns pesos em cima para auxiliar na retirada do ar, como pneus, areia, terra ou brita.
  • Após o fechamento do silo, o ideal é que fique pelo menos 30 dias fechado, de forma a garantir uma boa fermentação de todo o material que foi ensilado.

Uma boa silagem é capaz de reduzir os custos e aumentar a produção de leite, melhorando a renda do produtor e o desempenho dos animais.

 

 

Ficou curioso e quer aprender mais sobre pecuária?
Leia mais em: https://esteiogestao.com.br/blog/

Use um sistema que te permite acessar as informações a qualquer momento e em qualquer lugar.

Você é produtor e quer gerenciar o seu negócio de forma prática e rápida? Conheça as nossas soluções agropecuárias em: https://esteiogestao.com.br/produtos-e-servicos/

Autor:

Eduarda - Autora do conteúdo Controle estratégico de carrapatos

Eduarda Viana

Zootecnista, criadora do perfil @dicasdazootecnista no Instagram.

Nos acompanhe nas redes sociais e fique por dentro de todas as novidades.

Deixe um Comentário