Saiba por que as lesões de casco afetam a produtividade dos animais e quais são as medidas que devem ser tomadas para o tratamento e prevenção

As lesões de casco nos bovinos são muito comuns e causam inúmeros prejuízos, sendo responsáveis por cerca de 90% dos problemas de locomoção dos animais. Além do gasto com medicamentos decorrentes do tratamento, as lesões de casco causam desconfortos que fazem com que os animais se desloquem cada vez menos, diminuindo as idas ao cocho para se alimentar, e consequentemente, reduzindo a produção de leite e o ganho de peso. Também tem grande participação nas causas de descarte de animais, pois também dificulta e afeta a reprodução.

Principais causas das lesões de casco

As lesões de casco em bovinos possuem causas multifatoriais, ou seja, vários fatores contribuem para que as lesões se manifestem. Estão muito ligadas ao ambiente que os animais vivem, à genética e à nutrição.

  • Ambientais

    O tipo de piso por onde o animal caminha ou passa a maior parte do tempo tem grande impacto sobre o aparecimento das lesões. Pisos de terra que são acidentados, com pedras, barro e umidade, contribuem para danificar os cascos. A umidade amolece as lâminas do casco, deixando-o propenso à traumatismos. Além disso, locais úmidos e com barro também facilitam a contaminação por bactérias que podem agravar as lesões. Se o piso for de cimento poderá causar o desgaste irregular do casco, pois o cimento funciona como uma lixa, causando além de deformidades nos cascos, problemas articulares.
    Outro ponto a ser observado no ambiente são as camas dos animais. Camas que foram mal dimensionadas ou estão muito compactadas fazem com que as vacas fiquem mais tempo em pé, aumentando a pressão sobre os cascos e os riscos de aparecimento de lesão.

    ? Genéticas

    As causas de origem genética estão ligadas à conformação de pernas e pés. Nos bovinos leiteiros, principalmente, a longevidade e os aprumos são características muito desejáveis, pois animais confinados sofrem um desgaste maior do que animais a pasto. Daí a importância de se atentar aos aprumos dos animais na hora de escolher o sêmen para inseminação.

    ? Nutricionais

    Animais que consomem uma dieta desbalanceada, com grande quantidade de alimentos concentrados e volumosos de baixa qualidade, estão mais propensos a desenvolver laminite, uma inflamação que atinge as estruturas da parede do casco, deformando-os. O grande consumo de alimentos altamente fermentáveis leva à produção de ácido lático e redução do pH ruminal, causando acidose. O baixo pH causa a morte de bactérias gram-negativas e libera endotoxinas na corrente sanguínea, que estimulam a liberação de mediadores inflamatórios que causam alteração na circulação vascular periférica, afetando diretamente as lâminas dos cascos. Com a circulação deficiente, ocorre a isquemia e hipóxia das células e inibição da síntese normal do casco, resultando na degeneração e deformação laminar.

Principais lesões de casco em bovinos

São várias as lesões que podem acometer os bovinos, na forma de feridas, desgaste anormal, crescimento excessivo das unhas, bicheiras, dermatites, entre outras. Todas elas causam grande desconforto e perdas na produtividade. As principais lesões são:

  • Laminite
  • Dermatite digital
  • Gabarro (hiperplasia interdigital)
  • Úlcera de sola
  • Abscesso de sola
  • Erosão de talão
  • Podridão de casco
Imagem de lesões de casco em bovinos.

Tratamento

O tratamento das lesões de casco em bovinos deve ser feito por um profissional treinado e capacitado, que irá realizar a limpeza, corte e demais procedimentos que forem necessários. Em alguns casos são utilizados medicamentos antibióticos e anti-inflamatórios, para combater microrganismos e aliviar as dores.
Em outras situações o animal deve ser manejado para um local mais limpo e seco, para poder se recuperar melhor e ajudar no processo de cicatrização.

Prevenção

Portanto, a prevenção é a melhor forma de evitar os prejuízos causados pelas lesões de casco em bovinos. Mudanças no manejo são fundamentais para reduzir esse tipo de problema, e alguns cuidados ajudam a manter a saúde dos cascos:

  • Oferecer dieta balanceada
  • Cuidar da higiene dos locais onde os animais vivem
  • Oferecer conforto
  • Fazer o casqueamento preventivo, pelo menos duas vezes ao ano. Para vacas leiteiras recomenda-se fazer o casqueamento no momento da secagem e 100 dias após o parto.
  • Utilizar pedilúvio na propriedade

O pedilúvio é uma alternativa simples e barata que auxilia no fortalecimento dos cascos. É uma instalação onde se adiciona sulfato de cobre ou formol, que fica localizada geralmente na saída da sala de ordenha, onde os animais passam e molham os pés na solução. O sulfato de cobre e o formol desinfetam e ajudam a endurecer os cascos. É interessante ter um lava-pés antes, pois a sujeira inibe a ação da solução desinfetante.

Alterações no manejo podem melhorar a saúde dos cascos e evitar prejuízos com tratamentos, queda na produtividade e descartes involuntários.

Bibliografia consultada:

-Como evitar doenças de casco em bovinos de leite. Disponível em https://www.fundacaoroge.org.br/blog/comoevitardoencasdecascosembovinos

-Podologia bovina: entendendo os problemas de casco. Disponível em https://www.comprerural.com/podologia-bovina-entenda-os-problemas-de-cascos-em-bovinos/

-Tratamento das afecções de casco em bovinos. Disponível em https://www.ourofinosaudeanimal.com/ourofinoemcampo/categoria/artigos/tratamento-das-afeccoes-de-cascos-em-bovinos/

Ficou curioso e quer aprender mais sobre pecuária?
Leia mais em: https://esteiogestao.com.br/blog/

Use um sistema que te permite acessar as informações a qualquer momento e em qualquer lugar.

Você é produtor e quer gerenciar o seu negócio de forma prática e rápida? Conheça as nossas soluções agropecuárias em: https://esteiogestao.com.br/produtos-e-servicos/

Autora:

Eduarda - Autora do conteúdo Controle estratégico de carrapatos

Eduarda Pereira Viana

Zootecnista pela Universidade Federal de Viçosa com grande experiência em qualidade do leite, tendo atuado por mais de 9 anos junto aos produtores de variadas regiões do país.

Nos acompanhe nas redes sociais e fique por dentro de todas as novidades.

Deixe um Comentário